logo_HECO_sem fundo_branco.png
Nome Branco.png

Ozualdo Ribeiro Candeias foi registrado em Cajubi, São Paulo, em 1922. Trabalhou como motorista de caminhão, entre outros empregos, até que, no começo dos anos 1950, comprou uma câmera 16 mm Keystone. Começou a fazer filmes caseiros, aprendendo todos os meandros técnicos da máquina de forma autodidata.

 

Começou a frequentar o Seminário de Cinema do MASP em 1955. Com isso, passou a dirigir documentários institucionais e cinerreportagens e a trabalhar como equipe técnica. Em 1967, realizou o longa de baixo orçamento A Margem, que mudou os paradigmas do cinema feito no Brasil até então, sendo considerado marco do chamado Cinema Marginal e do cinema da Boca do Lixo. Seguiram-se os igualmente irreverentes e experimentadores Meu nome é Tonho e A Herança – iniciando sua parceria com David Cardoso, produtor e ator de Caçada Sangrenta e A Freira e a Tortura.

 

Candeias foi diretor de fotografia e ator em vários longas-metragens, além de ter feito curtas e médias. Registrou também, através de fotografias, o cotidiano da Boca do Lixo, local que defendia irrestritamente. Em 1981, fez AOpção ou As Rosas da Estrada, que lhe rendeu o Leopardo de Ouro no Festival de Locarno. Fez ainda dois filmes, dessa vez com apoio público: Manelão, o Caçador de Orelhas e As Bellas da Billings, quase uma despedida da Boca. Depois volta com O Vigilante, e chega a ensaiar outros projetos, mas não consegue apoio. Ozualdo Cadeias falece em 2007.

Caixa-08_03258-Correção.jpg

ACERVO DE FOTOGRAFIAS

A produção de Ozualdo Candeias como fotógrafo foi realizada paralelamente à sua atividade cinematográfica e retrata as pessoas e os costumes da cidade de São Paulo entre os anos 1960-1990. O acervo possui vasto registro fotográfico sobre arquitetura; a rua do Triunfo e arredores; grafites; retratos de personalidades do cinema brasileiro e bastidores de diversos filmes produzidos na Boca do Lixo. Há ainda, inúmeros registros de viagens para Bolívia e Peru, Mato Grosso, Paraná, Brasília e outras regiões do país.

Confira abaixo os filmes de Ozualdo Candeias administrados pela Heco Produções. Para obter informações detalhadas sobre exibições, entre em contato conosco.

AS BELLAS
DA BILLINGS

dir. Ozualdo Candeias

longa-metragem, ficção, 1987

Um violeiro e seu amigo, vendedor ambulante de ervas medicinais em praça pública, vão passar um fim de semana num casebre da família do primeiro - mãe e irmã, às margens da represa Billings.

BOCADOLIXOCINEMA OU FESTA NA BOCA

dir. Ozualdo Candeias

curta-metragem, documentário, 1976

Documentário sobre a festa de final de ano de 1976 na rua do Triunfo.

O CANDINHO

dir. Ozualdo Candeias

média-metragem, ficção, 1976

O filme conta a história de Candinho, um rapaz com deficiência mental que é expulso juntamente com sua família da fazenda onde trabalhavam no interior. Ele parte, então, para a cidade em busca de uma promessa de redenção na figura de uma imagem de Cristo.

CINEMATECA
BRASILEIRA

dir. Ozualdo Candeias

curta-metragem, documentário, 1993

Documentário sobre as atividades da Cinemateca Brasileira.

A HERANÇA

dir. Ozualdo Candeias

longa-metragem, ficção, 1971

Filho de fazendeiro volta para casa após a morte de seu pai, encontrando sua mãe casada com seu tio. O falecido volta do além, conta para o filho que foi assassinado e o rapaz promete vingança.

MANELÃO
O CAÇADOR DE ORELHAS

dir. Ozualdo Candeias

longa-metragem, ficção, 1982

No interior do Centro-Sul, um caboclo doente e pobre é contratado por ricos latifundiários interessados vinganças pessoais. Ele quase não fala, e seu silêncio de matador tem uma marca: arranca a orelha da vítima e a entrega a quem encomendou a morte.

A MARGEM

dir. Ozualdo Candeias

longa-metragem, ficção, 1967

Inspirado em acontecimentos reais publicados em jornais popularescos, o filme aborda o dia-a-dia da população pobre que vive às margens do rio Tietê através das experiências de quatro personagens que, no meio da miséria e da luta pela sobrevivência, tentam se encontrar através do sentimento.

UMA RUA CHAMADA TRIUMPHO 1969/70

dir. Ozualdo Candeias

curta-metragem, documentário, 1971

Através de fotografias de autoria de Ozualdo Candeias registra-se a região da Boca do Lixo paulistana e as pessoas do meio cinematográfico que por ali circulavam.

UMA RUA CHAMADA TRIUMPHO 1970/71

dir. Ozualdo Candeias

curta-metragem, documentário, 1971

Através de fotografias de autoria de Ozualdo Candeias registra-se a região da Boca do Lixo paulistana e as pessoas do meio cinematográfico que por ali circulavam.

SENHOR
PAUER

dir. Ozualdo Candeias

curta-metragem, ficção, 1988

Num dia de greve de ônibus, burguês pega carona na carroça de um catador de lixo e começa a explorá-lo até o limite.

TAMBAÚ, CIDADE DOS MILAGRES

dir. Ozualdo Candeias

curta-metragem, documentário, 1955

Documentário sobre a última benção ministrada pelo padre Donizetti, ocorrida na cidade de Tambaú.

O VIGILANTE

dir. Ozualdo Candeias

longa-metragem, ficção, 1992

O filme conta a chegada de um camponês à cidade. Os tempos são difíceis e não encontrando trabalho facilmente ele torna-se vigilante. Como a maioria dos migrantes, acaba indo morar numa favela, onde acaba tendo de enfrentar uma série de problemas.

A VISITA DO VELHO SENHOR

dir. Ozualdo Candeias

curta-metragem, ficção, 1976

Adaptação do conto gráfico de Poty Lazzarotto que narra a visita de um homem a uma prostituta. Durante a visita, o homem tortura a mulher.

ZÉZERO

dir. Ozualdo Candeias

média-metragem, ficção, 1974

Um camponês tem a visão de uma “fada” que o convence a ir para a cidade em busca dos prazeres da metrópole. Lá, só consegue emprego na construção civil, onde o pouco que ganha gasta com apostas na loteria esportiva.