logo_HECO_sem fundo_branco.png
Nome Branco.png

A Heco Produções adquiriu os direitos patrimoniais de filmes produzidos na Boca do Lixo nos anos 1960 e 1970, os quais gerencia e comercializa. São 56 filmes ao todo, de diretores como Carlos Reichenbach, José Mojica Marins, Jean Garret, Ody Fraga entre outros. Essa coleção inclui o Acervo Ozualdo Candeias, que compreende grande parte da filmografia do diretor e seu acervo de fotografias. Para obter informações detalhadas sobre exibições, entre em contato conosco.

Ozualdo Ribeiro Candeias foi registrado em Cajubi, São Paulo, em 1922. Trabalhou como motorista de caminhão, entre outros empregos, até que, no começo dos anos 1950, comprou uma câmera 16 mm Keystone. Começou a fazer filmes caseiros, aprendendo todos os meandros técnicos da máquina de forma autodidata.

 

Começou a frequentar o Seminário de Cinema do MASP em 1955. Com isso, passou a dirigir documentários institucionais e cinerreportagens e a trabalhar como equipe técnica. Em 1967, realizou o longa de baixo orçamento A Margem, que mudou os paradigmas do cinema feito no Brasil até então, sendo considerado marco do chamado Cinema Marginal e do cinema da Boca do Lixo. Seguiram-se os igualmente irreverentes e experimentadores Meu nome é Tonho e A Herança – iniciando sua parceria com David Cardoso, produtor e ator de Caçada Sangrenta e A Freira e a Tortura.

 

Candeias foi diretor de fotografia e ator em vários longas-metragens, além de ter feito curtas e médias. Registrou também, através de fotografias, o cotidiano da Boca do Lixo, local que defendia irrestritamente. Em 1981, fez AOpção ou As Rosas da Estrada, que lhe rendeu o Leopardo de Ouro no Festival de Locarno. Fez ainda dois filmes, dessa vez com apoio público: Manelão, o Caçador de Orelhas e As Bellas da Billings, quase uma despedida da Boca. Depois volta com O Vigilante, e chega a ensaiar outros projetos, mas não consegue apoio. Ozualdo Cadeias falece em 2007.

ACERVO DE FOTOGRAFIAS

A produção de Ozualdo Candeias como fotógrafo foi realizada paralelamente à sua atividade cinematográfica e retrata as pessoas e os costumes da cidade de São Paulo entre os anos 1960-1990. O acervo possui vasto registro fotográfico sobre arquitetura; a rua do Triunfo e arredores; grafites; retratos de personalidades do cinema brasileiro e bastidores de diversos filmes produzidos na Boca do Lixo. Há ainda, inúmeros registros de viagens para Bolívia e Peru, Mato Grosso, Paraná, Brasília e outras regiões do país.

Confira abaixo os filmes de Ozualdo Candeias administrados pela Heco Produções. Para obter informações detalhadas sobre exibições, entre em contato conosco.

O Acordo.png
América_do_Sul.png
Casas_André_Luiz.png
Ensino Industrial.png
Lady Vaselina.png
Polícia_Feminina.png
Rodovias.png

OUTROS DOCUMENTÁRIOS REALIZADOS POR CANDEIAS

POÇOS DE CALDAS (1956)

35mm, P&B

Documentário institucional sobre as atrações turísticas da cidade de Poços de Caldas.

INTERLÂNDIA (déc. 60)

35mm, P&B

Documentário institucional apresentando as atividades econômicas, religiosas e sociais da cidade de Espírito Santo do Pinhal.

JOGOS NOROESTINOS (déc. 60)

35mm, P&B

Documentário sobre os VI Jogos Noroestinos, ocorridos em Campo Grande.

MARCHA PARA O OESTE NÚMERO 3 (déc. 60)

35mm, P&B

Documentário institucional sobre os progressos da cidade de Campo Grande.

MARCHA PARA O OESTE NÚMERO 5 (déc. 60)

35mm, P&B

Documentário institucional sobre o desenvolvimento econômico da cidade de Corumbá.

BASTIDORES DA FILMAGEM DE UM PORNÔ (déc. 90)

Documentário que através das fotografias de Ozualdo Candeias registra de forma irônica a realização de um filme pornográfico.